Em assembleia realizada em São Paulo, que reuniu representantes da Associação Médica do Brasil (AMB), Associação Nacional de Médicos Residentes (ANMR), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Federação Nacional dos Médicos (FENAM), além de outros representantes de todo o Brasil ficou decidido que no dia 3 de julho será realizada uma mobilização em todo o país em busca da luta em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS) e pelas condições para o pleno exercício da Medicina. Em carta aberta aos médicos e à população foram elencadas uma série de ações e propostas.

Nesta reunião foi declarado o Ministro da Saúde, Alexandre Padilha como persona non grata em virtude das medidas anunciadas de forma eleitoreira como a vinda de médicos estrangeiros para atuar no país.

Entre as ações e reivindicações das entidades médica incluem o apoio a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 454/2009 que estabelece a criação de carreira de Médico de Estado, para estimular a interiorização da assistência com a ida e fixação de médicos em áreas de difícil provimento. Outra ação é o incentivo a coleta de 1,5 milhão de assinaturas para tornar viável a apresentação do Projeto de Lei de Iniciativa Popular Saúde + 10, que prevê mínimo de 10% da receita bruta da União em investimentos na saúde.

A entidades também lutam para derrubar o Decreto Presidencial 7562, de 15 de dezembro de 2011, que modificou a Comissão Nacional de Residência Médica, tornando-a não representativa e refém dos interesses do Governo.

A vinda de médicos estrangeiros anunciada pelo Governo Federal e Ministério da Saúde é outro item que motivou a decisão da mobilização. As entidades lutam contra a importação de médicos estrangeiros sem revalidação de seus diplomas com critérios claros e rigorosos e defendem o programa de revalidação do diploma (Revalida) pelo Governo Federal.

Foi criado um site específico para que médicos, profissionais da saúde e a população possam denunciar a atual situação dos hospitais e serviços de saúde de todo o país por meio de relatos, fotos e vídeo. Segundo a carta, é um espaço público para que todos possam divulgar sua experiência com os serviços do Sistema Único de Saúde (SUS). O site que tem apoio de todas as entidades médicas pode ser conferido em www.sossaude.org.br.

A carta aberta aos médicos e à população pode ser consultada aqui.