O Senado Federal aprovou nesta quarta-feira o Programa Mais Médicos, bandeira do Governo Federal para a área de saúde. O projeto que já tinha sido aprovado na Câmara foi votado e aprovado sem alterações. O projeto irá agora para sanção presidencial.

Com a aprovação, médicos estrangeiros poderão exercer a medicina sem revalidação do diploma por 3 anos, após os três primeiros anos, caso tenha interesse em continuar no projeto deverá obrigatoriamente dar entrada no processo de revalidação do diploma para continuar trabalhando por mais 3 anos.Agora o Ministério da Saúde será o responsável por emitir o registro dos médicos estrangeiros e não mais os CRMs. Médicos aposentados também podem aderir ao projeto, essa medida foi inserida na Câmara.

Graduação

Além da participação de médicos estrangeiros, o Mais Médicos também alterou o currículo da graduação médica. Agora o internato médico deve obrigatoriamente destinar 30% dos dois anos na Atenção Básica e nos serviços de urgência e emergência.

Residência Médica

A residência médica não escapou das mudanças, a partir de 2019 algumas residências terão um ano a mais de duração que incluirá o primeiro ano de medicina geral de família e comunidade, entre elas estão clínica médica, pediatria, ginecologia e obstetrícia, cirurgia geral, psiquiatria e medicina preventiva e social. Outras residências terão os dois anos iniciais d medicina geral de família e comunidade, não ficou claro ainda quais residências terão os dois anos iniciais e quais não necessitarão deste pré-requisito.

Na prática, caso um médico optar por fazer clínica médica por exemplo, ele fará três anos de residência, o primeiro ano em medicina geral de família e comunidade e mais dois de clínica. Ao terminar esta residência e optar por fazer cardiologia por exemplo, deverá fazer novamente mais um ano de Medicina Geral de Família e Comunidade e o restante em cardiologia. Da mesma forma quem for fazer cirurgia geral, pediatria ou ginecologia e obstetrícia, ao optar por fazer um R3 (que na verdade seria um R4 agora) deverá reiniciar na medicina geral de família e comunidade.