Os protestos ocorridos há mais de um mês de médicos e estudantes contra a vinda de estrangeiros, entre eles 6 mil cubanos não foram suficientes para intimidar o Governo Federal. Num primeiro momento o Ministro da Saúde reiterou que médicos de Cuba não participariam do programa Mais Médicos, tudo mudou após a baixa adesão de brasileiros, o que já era esperado e de estrangeiros no primeiro módulo do Programa Mais Médicos.

Hoje o Governo Federal afirmou que firmou uma parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) que contará com a vinda de 4.000 cubanos para regiões onde não houve interesse de médicos do primeiro módulo do Mais Médicos. Com a parceria, 400 médicos cubanos já serão integrados na primeira fase do programa e parte deles chega ao Brasil no próximo final de semana. A OPAS está em busca de novos países interessados em trabalhar no Brasil, porém até o momento apenas Cuba se interessou, o governo Federal investirá R$511 milhões na vinda dos médicos cubanos ao Brasil até fevereiro de 2014.

Já prevendo novos protestos o Governo afirmou que 84% dos médicos cubanos que virão ao Brasil têm mais de 16 anos de experiência e todos têm especialização em medicina da família. A partir do dia 26 de agosto os médicos estrangeiros participarão por três semanas de aulas de avaliação sobre saúde pública brasileira e língua portuguesa.